Varíola dos macacos: saiba o que é e entenda o cenário atual da doença

Por Ana Luiza Garcia, Agenda News

Publicado em 25/05/2022 16h08

Varíola dos macacos: saiba o que é e entenda o cenário atual da doença © CDC/BRIAN W.J. MAHY
  Compartilhar

Após um longo período de enfrentamento da pandemia da Covid-19, surge mais uma preocupação à nossa saúde: a varíola dos macacos. No início de maio, o Reino Unido confirmou um surto da doença e quase 20 países já registraram casos de contaminação em pessoas, desde então. 

Especialistas afirmam que a doença não pode ser comparada ao novo coronavírus, em termos de transmissibilidade ou mortalidade. 

A varíola dos macacos é uma infecção viral que é transmitida, principalmente, do animal para o homem e apenas em regiões do continente africano. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a transmissão entre humanos também sempre foi possível e ocorre através do contato com lesões, fluidos corporais, compartilhamento de materiais contaminados e vias respiratórias. 

Os sintomas da doença podem durar de duas a três semanas. Dentre os mais comuns, estão: febre, dor de cabeça, dor nas costas ou musculares, 
inflamações nos nódulos linfáticos, calafrio e exaustão. Além disso, é comum o surgimento de erupções na pele (lesões), que começam no rosto e se espalham por todo o corpo.

Apesar da doença ser considerada leve, pode haver casos mais graves, sobretudo em crianças pequenas, pessoas com sistema imune frágil e mulheres grávidas. Segundo a OMS, estima-se que 3% a 6% dos casos resultem em morte.

Prevenção e tratamento

Não há tratamentos específicos para a doença, porém, é possível que ela seja evitada através da vacina para a varíola tradicional, erradicada com a campanha de imunização em 1980. Estudos apontam que essa vacina é cerca de 85% eficaz na prevenção da varíola dos macacos.

Governos de alguns países começaram a oferecer vacinas para os cidadãos mais expostos e outros buscam avaliar as reservas de imunizantes e tratamentos. 

Ainda de acordo com a OMS, o surto não requer vacinação em massa, pois medidas como rastreamento, isolamento de contatos, higiene e comportamento sexual seguro podem ajudar no controle da propagação da doença em todo o mundo. 

Brasil

O Brasil ainda não tem registro da doença, mas o vírus foi identificado em um brasileiro de 26 anos na Alemanha, vindo de Portugal, após passar pela Espanha.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) já estabeleceu uma comissão de caráter consultivo para acompanhar os casos de varíola de macacos.



Gostou desta publicação?

Continue nos acompanhando nas mídias sociais e confira muitos outros conteúdos exclusivos feitos para você! Estamos no Instagram, no Facebook e no YouTube! Agenda News é mais notícia e informação, sempre com você na sua mão.